ESTÚDIOS VICTOR CÓRDON — CENTRO EDUCATIVO



Em pleno coração do Chiado, no número 21 da rua com o mesmo nome, situa-se o edifício assinado pelo arquiteto José Luís Monteiro (1848-1942). Originalmente destinado a acolher o Ginásio Clube Português que ali se manteve até 1973, passou a ser, anos mais tarde, a sede da Companhia Nacional de Bailado. Com uma longa história não apenas ligada ao desporto, mas também à arte, por estes estúdios passaram grandes nomes ligados à Dança, à Música, ao Teatro e às Artes Plásticas. Desde setembro de 2016, este espaço inclui igualmente projetos de cariz educativo, comunitário e criativo da Companhia Nacional de Bailado e do Teatro Nacional de São Carlos para os mais jovens, onde ali concretizam ideias que aliam movimento, música e imagens.

 


2016 — 2017


Jovens Compositores Associados


De janeiro a dezembro de 2017


Os Estúdios Victor Córdon, centro educativo do Teatro Nacional de São Carlos e da Companhia Nacional de Bailado, convidam três jovens compositores a associarem-se à presente Temporada (2016-2017). Esta colaboração terá a orientação de Luís Tinoco, compositor residente de São Carlos e que irá apoiar o trabalho destes compositores associados, procurando encontrar os melhores veículos e ferramentas para que possam extrair todo o seu potencial criativo.


Concertos no Foyer do Teatro Nacional de São Carlos

O que nos pode a música contar que vai para além do alcance das palavras? Na procura de respostas a esta questão, contaremos com instrumentos, instrumentistas, cantores, bailarinos e obras de alguns dos mais celebrados compositores da História da Música. Para tal, iremos também precisar da vossa ajuda. São seis concertos que nos levarão numa viagem de descoberta. Esperamos poder contar com a vossa companhia!



Concertos no Centro Cultural de Belém

Os concertos da Orquestra Sinfónica Portuguesa integrados na programação da Fábrica das Artes do CCB segmentam-se em espaços de encontro e de mediação que visam a aproximação dos públicos, criando condições favoráveis à receção da obra de arte. Dirigem-se a públicos diversos, a miúdos e a graúdos, a escolas e a famílias, a profissionais que cruzam o espaço de encontro entre a Arte e a Educação e o público em geral.